Seminário em Araguaína discute estratégias de combate à transmissão da malária no Tocantins

Seminário em Araguaína discute estratégias de combate à transmissão da malária no Tocantins




Promovido pela Universidade Federal do Tocantins (UFT) em parceria com a Secretaria da Saúde do estado (Sesau), começa nesta segunda-feira (10) e segue até terça (11), no Câmpus de Araguaína, o V Seminário de Malária do Tocantins. O evento vai reunir estudantes, professores e profissionais da área da saúde além de secretários de saúde dos municípios tocantinenses, membros do Ministério da Saúde, do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) e do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Tocantins (Cosems-TO). O objetivo é discutir estratégias para acelerar a eliminação da transmissão da malária no estado.

O Brasil é o país com mais casos da doença no continente, sendo que a maior parte deles se concentra na Amazônia Legal. Graças a uma redução de 97% nos últimos dez anos – de 1,2 mil casos notificados em 2003 para apenas 34 em 2013 – o Tocantins é atualmente o estado da região com o menor número de casos da infecção, que é causada pelo parasita plasmódio e transmitida pelo mosquito do gênero Anopheles.

Apesar disso, conforme explica o coordenador do evento e professor do Curso de Medicina da UFT, Neilton Araújo, o Tocantins recebe ainda muitos pacientes com malária, fato que exige atenção para evitar que a doença continue a ser transmitida. Entre os casos notificados no TO de 2003 a 2013, a maior parte teve como local de infecção outros estados e países como a Guiana, a Guiana Francesa, o Pará e o Maranhão, motivo que levou o Tocantins a não apresentar nenhum município com Incidência Parasitária Anual (IPA) de alto ou médio risco. A maioria dos municípios foi enquadrada como área sem risco de transmissão, e apenas dez foram classificados como de baixo risco devido aos casos notificados. “Vamos firmar um compromisso de gestão para que o Tocantins seja o primeiro estado da região a eliminar a transmissão da malária”, afirma Araújo.

Programação do seminário:

Segunda-feira (10)

19h – Recepção, inscrições e entrega de material

20h – Apresentação do contexto epidemiológico da malária no Tocantins (Marco Aurélio de Oliveira Martins, Gerência de Núcleo da Malária da Sesau-TO)

20h40 – Abertura solene: Ministério da Saúde, Sesau-TO, UFT, IOC-Fiocruz, Cosems-TO, Conasems, Conass, ATM, Prefeitura de Araguaína
Terça-feira (11)

8h – Situação da malária no Brasil (Poliana de Brito Ribeiro eEduardo Saad, Coordenação Geral do Programa Nacional de Controle da Malária, Ministério da Saúde)

9h30 – Mesa-redonda: Compromissos, desafios e parcerias no controle e prevenção da malária no Tocantins.

Participantes: Léo Bento (chefe da Unidade Avançada de Araguaína do Ibama); Gilmar Alves Castro (Chefe da Unidade Avançada de Araguaína do Incra); Rogério Rios Coelho (Gerência de Núcleo de Entomologia Médica, Sesau-TO). Mediadora: Ruth Paranaguá

11h – Intervalo

11h15 – Debate e sistematização das propostas

12h30 – Intervalo

14h – Experiência exitosa na vigilância e controle da malária em Caseara (Lilian Lopes de Souza)

14h30h – Mesa-redonda: O papel da gestão na vigilância e eliminação da transmissão da malária no Tocantins.
Participantes: Cosems-TO, Sesau-TO e UFT
Mediador da mesa: representante do Conasems

Cosems-TO – O papel do município na vigilância da malária (Rubens Carlos Neves)
Sesau-TO – A Sesau e o monitoramento da vigilância da malária no Tocantins (Ruth Paranaguá)
UFT – A Universidade e o esforço para a eliminação da malária no Tocantins (Prof. Neilton Araújo)

15h30 – Debate com plenário

16h30 – Carta de compromisso para acelerar a eliminação da transmissão da malária no Tocantins (Prof. Neilton Araújo)

17h – Encerramento e entrega de certificados

(Bianca Zanella)

Fazer um comentario


Deprecated: Directive 'track_errors' is deprecated in Unknown on line 0