Rede estadual de ensino retoma atividades e estudantes comemoram

Rede estadual de ensino retoma atividades e estudantes comemoram




As unidades da rede estadual de ensino retomaram as atividades na manhã desta quarta-feira, 23, após 18 dias letivos de paralisação grevista deflagrada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado do Tocantins (Sintet). Após a apresentação das propostas do governo do Estado, durante assembleia realizada em Palmas nesta terça-feira, 22, a categoria decidiu suspender a mobilização. Com a volta às aulas, estudantes e educadores destacam a importância da retomada da rotina escolar e da manutenção do calendário de aulas.

Professora de matemática do Colégio Girassol de Tempo Integral Vila União, Luana dos Santos Ribeiro de Almeida acredita que o retorno às aulas é positivo para professores e alunos. “O maior objetivo de qualquer educador é o aluno. Por isto, jamais deixamos de nos preocupar com o prosseguimento do ano letivo dos estudantes, para não prejudicá-los. Agora, vamos voltar com todo o gás, revisando alguns conteúdos, para os alunos não perderem o fio da meada, e iniciando a reposição das aulas perdidas com conteúdos novos. Todos saem ganhando com este retorno das atividades”, afirmou a educadora.

Diretora do Colégio Dom Alano Marie Du Noday, em Palmas, Amanda Emilene Arruda reforçou ainda que, para os educadores, o importante é planejar corretamente as reposições de forma que favoreça o aprendizado dos alunos. “É essencial que os educadores não procurem apenas cumprir os dias letivos perdidos, de uma forma meramente numérica, mas, sim, que prestigiem os conteúdos a serem passados com eficácia. A nossa preocupação maior deve ser com a formação dos alunos”, disse a gestora educacional.

Para João Pedro Carvalho Alves, 13 anos, aluno do 9º ano do ensino fundamental do Colégio Girassol de Tempo Integral Vila União, na Capital, o retorno às aulas é motivo de comemoração. “Estou muito alegre com a volta das aulas; Para mim, era muito importante que isto acontecesse logo porque este é um ano fundamental, pois vou para o ensino médio no ano que vem”, destacou o estudante.

Na 2ª série do ensino médio do Colégio Dom Alano, Gustavo Guilherme Lima, de 17 anos, também não escondeu a alegria pela volta às aulas nesta quarta-feira. “As aulas perdidas serão repostas e, com o tempo, voltamos a ficar no eixo de novo. Eu e os meus colegas sabemos da importância da escola, que é a nossa segunda casa, onde formamos a nossa base, o nosso alicerce para o futuro; por isto, depois deste tempo sem aula, bateu até saudade daqui”, ressaltou.

Reposição das aulas

Em atendimento a uma solicitação do Sintet, a Secretaria de Estado da Educação e Cultura (Seduc) requereu que o Sindicato apresente uma sugestão de calendário de reposição de aulas.

 “Durante todo o período de negociações com o Sindicato, sempre citamos o compromisso dos educadores com os estudantes porque acreditamos neste compromisso. Podemos ver que os professores estão dispostos e contamos com o apoio deles e de toda a comunidade escolar para a garantia do cumprimento dos dias letivos não apenas visando a carga horária, mas a qualidade do ensino”, disse a secretária de Estado da Educação e Cultura, Adriana Aguiar.

Em ofício encaminhado ao Sintet nesta terça-feira, 22, a secretária solicita que a proposta de calendário de reposição seja entregue até a próxima sexta-feira, 25, a fim de agilizar o início do período de reposições.

(Marcus Mesquita /Foto: Manoel Lima)

Comments are closed.