Vendas do Bazar Três Pontos batem recorde na 6ª edição em Araguaína

Vendas do Bazar Três Pontos batem recorde na 6ª edição em Araguaína




A comercialização dos produtos artesanais confeccionados por reeducandos superou as expectativas de vendas na 6ª edição do Bazar Três Pontos, que ocorreu dias 06 e 09 de fevereiro, em Araguaína. O valor arrecadado foi maior do que as três primeiras edições juntas, cerca de R$3.600,00, demonstrando que o artesanato tem boas perspectivas de vendas.

A assistente social Geovanísia Mendes Rodrigues, coordenadora do projeto nas Cadeias Públicas de Babaçulândia e Wanderlândia, avalia que o recorde nas vendas se deve à qualidade do produto. “A cada edição notamos peças com trabalhos criativos aperfeiçoados, pontos bem arrematados e o acolhimento das críticas sugeridas pelos clientes. Para aperfeiçoar o trabalho ainda mais, vemos que os reeducandos precisam estar antenados às novidades do mercado e eles já têm buscado isto com a compra de revistas especializadas”, afirmou a assistente social.

Com a consolidação do projeto, que realiza regularmente as exposições dos produtos, as vendas antes escassas, realizadas pelas famílias dos reeducandos, conquistaram um mercado maior. A reeducanda Betiane da Silva, 30, fala da importância da renda proveniente das vendas. “Aqui tem presa que não tem visita, que os parentes abandonaram, e com as vendas podem comprar suas coisas, comprar a linha por conta própria para continuar trabalhando e até mesmo ajudando a família, que na maioria das vezes é carente e depende também da gente”, afirmou.

Exposições

Nas exposições anteriores, o Bazar percorreu vários eventos e pontos da cidade. A expectativa da equipe multidisciplinar da DPE-TO é realizar uma vez por mês o Bazar, realizando exposições itinerantes para levar os produtos artesanais ao conhecimento do maior número de pessoas, dando visibilidade à confecção dos reeducandos e tornando acessível à população adquirir as peças.

Projeto

O Bazar Três Pontos é uma realização da Defensoria Pública do Tocantins em prol da ressocialização das pessoas que cometeram crimes. O projeto foi concebido em maio de 2013, a partir de três pilares: trabalho, liberdade e geração de renda, e vem se consolidando cada vez mais e atingindo os objetivos propostos.

(Keliane Vale)

Fazer um comentario