Araguaína intensifica vacinação para evitar câncer de colo uterino

Araguaína intensifica vacinação para evitar câncer de colo uterino




Meninas entre 9 e 11 anos e as de 12 e 13 anos que não tomaram a primeira dose devem ser levadas às unidades básicas de saúde a partir de amanhã, 10 de março

 

A Prefeitura de Araguaína, por meio da Secretaria da Saúde, iniciará a partir desta terça-feira, 10 de março, a Campanha de Vacinação contra Papiloma Vírus Humano (HPV), responsável pelo câncer de colo de útero. O Município pretende intensificar a campanha para ampliar a cobertura vacinal. O público-alvo é de 4.216 crianças do sexo feminino entre 9 e 11 anos de idade, e a meta é vacinar 80%. Meninas com 12 e 13 anos de idade que não se vacinaram no ano de 2014, ainda poderão receber a primeira dose.

As doses da vacina estarão disponíveis nas 18 unidades básicas de saúde (UBS), das 8h às 11h30 e das 13h30 às 17h. Haverá também vacinação nas escolas municipais e estaduais que terão dias agendados pelas equipes de vacinação. As meninas que não forem atendidas nas escolas deverão procurar um posto de vacinação para atualizar a caderneta. As crianças, adolescentes e mulheres que vivam com o vírus HIV poderão também procurar o Centro de Referência de Imunobiológicos Especiais (CRIE), portando laudo médico para receberem a vacina contra o HPV.

Ressaltando que é importante que levem no dia de se vacinar o Cartão de Vacinação, a Carteira de Identidade ou Certidão de Nascimento, e o Cartão SUS.

A vacina contra o HPV já faz parte do calendário de vacinação regular do Sistema Único de Saúde (SUS). A campanha deste ano imunizará, também, crianças, adolescentes e mulheres de 9 a 26 anos que vivam com o Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV).

Câncer de colo de útero

O câncer de colo de útero é uma doença grave que pode levar ao óbito. O vírus HPV está associado ao câncer de colo do útero e também a verrugas genitais e cutâneas. A principal via de transmissão do vírus é através de relações sexuais, porém ainda pode ser transmitido durante o parto e através do uso de instrumental ginecológico não esterilizado.

(Joselita Matos)

Fazer um comentario