Como hospital universitário, HDT vai ampliar oferta de serviço à população

Como hospital universitário, HDT vai ampliar oferta de serviço à população

A ampliação da oferta de serviço nas áreas da Saúde e Educação é um dos benefícios que serão sentidos pela população assim que for concluído o processo de transição do Hospital de Doenças Tropicais (HDT), que pertencia ao Governo do Estado, para a Universidade Federal do Tocantins (UFT).  Os trâmites finais desse processo foram debatidos em reunião técnica ocorrida na tarde desta terça-feira, 13, em Araguaína.

Na ocasião, o secretário de Estado da Saúde, Samuel Bonilha, reforçou que o processo trará a oferta de mais profissionais e a ampliação do serviço. “Só haverá benefícios, o hospital terá ampliado seu número de leitos, contará também com ampliação do centro cirúrgico, porque passará a ser hospital universitário. No final do ano, já vai ter vestibular e isso representa um ganho para toda região. Será importante porque a formação dos residentes já vai começar aqui. Hoje, precisamos de médicos, principalmente, especialistas. Tudo isso é benefício que o Estado e a UFT vêm trabalhando com vistas a melhorar a saúde de nossa região”, destacou.

De acordo com o representante da UFT e superintendente do HDT, José Pereira Guimarães Neto, o processo de transição tem ocorrido com cautela, para que não haja a interrupção de serviços ofertados à população. “É muito complexo se fazer a transição de um hospital e a presença do secretário aqui é para que possamos fazer isso com toda tranquilidade, sem que o hospital deixe de cumprir seu papel. Estamos trabalhando na criação do curso de Medicina em Araguaína, com previsão de início para novembro desse ano, oferecendo o HDT como campo de estágio. Além disso, vamos realizar o concurso, daí a universidade passa efetivamente a gerir o hospital”, explicou.

Para o diretor geral do HDT, Hilário Araújo Nunes, as expectativas são as melhores, principalmente diante da dificuldade da mão de obra de especialistas. “Hoje, os profissionais que são formados têm que buscar residência médica em outra região e geralmente eles não voltam. Com essa transição, acredito que isso vai melhorar bastante, principalmente na área da infectologia”, ressaltou.

A reunião, que ocorreu no HDT, em Araguaína, contou com a participação do secretário de Articulação Política, Paulo Sidnei, que reforçou que “os detalhes administrativos devem ser logo acertados, para que se acelere o processo e haja benefícios para a população”.

Concurso

Conforme explicou o superintendente do HDT, logo deve ser escolhida a empresa que vai realizar o concurso, com oferta de 338 vagas.

Com o certame, a ser promovido pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a previsão é de um aumento de 21% da força de trabalho no hospital. A quantidade de vagas, bem como as áreas profissionais previstas nos concursos, serão divulgadas nos editais previstos para serem publicados nos próximos meses.

Sobre o quadro de pessoal, o secretário Samuel Bonilha destacou que com o concurso feito e os novos servidores empossados será realizada a transição dos servidores que hoje atuam no hospital. “Com a realização do concurso, isso deve ocorrer até o final do ano. Até lá, esses servidores podem continuar fazendo seu serviço normal no HDT, atendendo as necessidades da população dentro daquilo que for sua atribuição”, informou.

O HDT

Com 80 funcionários contratados e 201 efetivos, o Hospital de Doenças Tropicais conta com 51 leitos de internação e seis cadastrados para tratamento de pacientes com Aids. Na unidade, são oito consultórios no ambulatório e profissionais que atuam nas áreas de pneumologia, dermatologia, ginecologia, clínica médica, pediatria, infectologia e hepatologia.

O hospital tem mesclado o serviço de ambulatório e internação, um dos poucos que tem essa estrutura no Estado. A média de atendimento ambulatorial é de 120 pacientes por dia e a taxa de ocupação é de 60%, já que a maioria dos casos necessita de isolamento.

Entenda

O Governo do Estado doou à UFT, o Hospital de Doenças Tropicais e a Fundação de Medicina Tropical (Funtrop), tornando o curso de Medicina, no campus de Araguaína, uma realidade próxima.

Com a doação, o HDT passa a ser hospital universitário e além de continuar atendendo toda a população da região, permitirá a prática dos estudantes de Medicina e o aperfeiçoamento dos profissionais através de residência médica. Já a Funtrop deverá se transformar em um centro de excelência em pesquisa.

(Sara Cardoso)



Fazer um comentario