Tocantins celebra 18 anos sem febre aftosa

Tocantins celebra 18 anos sem febre aftosa

Em maio deste ano o Tocantins comemora 18 anos sem febre aftosa. Essa conquista está atrelada as ações de erradicação da febre aftosa executada pelo Governo do Estado, por meio da Agência de Defesa Agropecuária (Adapec), em parceria com toda a cadeia produtiva, que juntos alcançaram altos índices de cobertura vacinal, nas etapas anuais de vacinação realizadas em maio e novembro, e têm colaborado para o fortalecimento da economia. As exportações internacionais de carnes e miúdos ultrapassaram a 32 mil toneladas em 2014 e de janeiro a março, deste ano, já chegaram a mais de 6,3 mil toneladas.

Com um rebanho estimado em mais de oito milhões de bovídeos (bovinos e bubalinos), o Estado é 11º no ranking nacional no número de animais. Para preservar o status sanitário, livre da doença com vacinação, são realizados, periodicamente, inquéritos sorológicos para comprovar a eficiência da vacina e a ausência de circulação viral. Além disso, é feito um controle rigoroso do rebanho das propriedades, controle de trânsito animal, produtos e subprodutos, atendimento imediato a suspeitas de ocorrências de doenças vesiculares e educação sanitária aos produtores rurais.

Para alcançar todo o território tocantinense e atender as mais de 55 mil propriedades rurais cadastradas com bovídeos é preciso estar presente em todos os 139 municípios do Estado, contar ainda com barreiras fixas e volantes. Os resultados dos benefícios estão refletidos na economia com a valorização dos produtos pecuários: carne, leite, couro, animais vivos, sêmen e embriões, e o fortalecimento do comércio que inclui lojas agropecuárias, frigoríficos, laticínios, entre outros.

Conquistas

De acordo com o responsável pelo Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA) da Superintendência Federal da Agricultura-SFA, Luís Eduardo Cardoso da Rocha, o primeiro passo para evolução da pecuária no Estado foi a criação da Agência em 1998, além da parceria com produtores rurais e SFA, que permite que a cobertura vacinal seja uma das maiores do país. “Por isso é preciso que os produtores rurais continuem conscientes da importância de vacinar o rebanho, para que consigamos mais conquistas econômicas”, destaca.

A qualidade da carne do boi verde, criado de forma extensiva,tem atraído cada vez mais a atenção dos mercados consumidores de carnes e seus derivados. “Em uma perspectiva de crescimento temos em vista o mercado europeu, pois teremos os produtos ainda mais valorizados financeiramente e sanitariamente”, disse o presidente da Adapec, Humberto Camelo, acrescentando que os trabalhos para essa conquista iniciaram o ano passado com a rastreabilidade dando a certificação a duas propriedades rurais.

Todas as conquistas revelam o quanto à manutenção de um estado livre de febre aftosa é importante para toda a cadeia produtiva e a sociedade. A aftosa é uma doença de grande impacto econômico, pelas restrições comerciais que causa. “Temos que continuar vigilantes para assegurar a sanidade do rebanho e uma das grandes armas contra a reintrodução de doenças é a vacinação”, ressalta o presidente.

Campanha

A primeira etapa de vacinação contra a febre aftosa acontecerá de 1º a 31 de maio, onde todos os bovídeos devem ser vacinados. Em maio de 2014, o índice vacinal foi de 99,26% dos animais e na segunda etapa, realizada em novembro do mesmo ano, o índice alcançado foi 99,05%. De acordo com os dados, o rebanho tocantinense conta com 8.116.581 de bovídeos.

Produção de carne

Atualmente, o Estado conta com quatro matadouros/frigoríficos de bovinos registrados no Serviço de Inspeção Estadual (SIE), que possibilita a comercialização dos produtos para outros estados, em 2014, juntos produziram 15,3 mil toneladas de carnes. Já registrados no Serviço de Inspeção Federal (SIF), aptos à exportação internacional, são dez frigoríficos em todo o Estado.

(Dinalva Martins)



Fazer um comentario