Prefeitura orienta comerciantes sobre ligações clandestinas em praças

Prefeitura orienta comerciantes sobre ligações clandestinas em praças

Durante as vistorias em duas praças da cidade, 25 caixas estavam abertas e 53 tomadas para utilização de forma clandestina a energia elétrica, riscos expostos à população

 

A Prefeitura de Araguaína está orientando comerciantes e feirantes das praças da cidade a regularizarem as ligações clandestinas de energia elétrica. Esta semana, o Departamento de Postura e Edificações (Demupe) e a Diretoria de Iluminação Pública estiveram na Praça das Nações e na Praça do Setor Noroeste, em Araguaína, para inibir as ligações clandestinas e evitar riscos à comunidade, em especial nas noites de sábado, domingo e feriado.

O Demupe solicitou vistoria da Secretaria da Infraestrutura para verificar a gravidade dos riscos. Durante a fiscalização de rotina na Praça do Setor Noroeste e na Praça das Nações, verificou-se que tampas de 25 caixas de concreto para passagem de fios foram abertas e que havia ligações clandestinas de 53 tomadas na rede principal. Além disso, os cabos das fiações de alta voltagem estavam desencapados e expostos.

“As gambiarras são perigosas. Se alguém cair ali dentro, pode até morrer. A ação da Prefeitura foi no intuito de evitar incidentes em áreas públicas”, disse o diretor de Iluminação Pública, Everton Marçal. Ele explicou ainda que em alguns comerciantes têm despejado óleo de frituras sobre a fiação das caixas, comprometendo a iluminação pública de parte da praça.

Uma das medidas que podem ser adotadas é a implantação de padrões trifásicos, separando a conta dos microempresários para reduzir os famosos ‘gatos’. “Adotamos essa medida na Praça dos Imigrantes e na Vila Couto e tem dado certo”, lembrou o diretor. Atualmente, os empreendedores pagam uma taxa simbólica à Fundação Municipal de Atividade Comunitária (Funamc) por utilizarem o uso do espaço público.

Crime

Além de serem penalizados pelo crime, os comerciantes podem até perder o ponto. Segundo o diretor de Postura e Fiscalização, Keslon Borges, o delito deve ser contido, pelos riscos à população.

“O município tem o objetivo claramente definido de tentar regularizar, de forma adequada e de acordo com as normas, o uso dessa energia”, afirmou, assegurando que após a vistoria, a Diretoria de Iluminação Pública e a Postura fecharam as caixas e retiraram toda a fiação.

Legalização

Para utilizar a energia elétrica das praças, os permissionários devem requerer a autorização da Prefeitura. No processo, devem detalhar os materiais elétricos utilizados no trabalho e solicitar a colocação dos postes da rede.

(Weberson Dias)



Fazer um comentario