Mulheres araguainenses têm oportunidade de escolher métodos contraceptivos

Mulheres araguainenses têm oportunidade de escolher métodos contraceptivos

Na Atenção Básica, Prefeitura ampliou o atendimento e oferece o DIU como mais uma opção de método para planejamento da mulher

 

Hoje, as mulheres trabalham fora e cuidam de casa. No meio dessa correria, algumas são mães e buscam métodos contraceptivos para planejar a sua vida pessoal e profissional. Este é o caso da técnica em laboratório Rosicleia Gomes Lima, de 29 anos, moradora do Araguaína Sul. Rosicleia já tem dois filhos, um de seis anos e outro de um ano e oito meses, e não pretende ter mais filhos. “O meu mais novo precisa de cuidados especiais, pois tem uma alergia que requer atenção redobrada”, explicou a técnica em laboratório.

Pensando nessas mulheres como a Rosicleia, a Prefeitura de Araguaína, por meio da Secretaria Municipal da Saúde, ampliou a oferta de métodos contraceptivos, oferecendo o Dispositivo Intrauterino (DIU) na Atenção Básica.

Opção de escolha

A técnica em laboratório disse que já tinha usado a pílula como método contraceptivo, mas teve muito efeito colateral. “Tinha muito enjoos, passava muito mal. Quando fiquei sabendo do DIU, vim procurar mais informação, pois para mim é melhor”, disse Rosicleia. “A mulher tem que decidir quando não quer mais ter filhos”, destacou.

Rosicleia já tinha feito os exames que o médico havia solicitado e estava retornando na unidade básica do Setor Couto Magalhães para apresentá-los. “Agora é aguardar”, finalizou esperançosa.

Outra mulher que foi em busca do planejamento familiar foi a dona de casa Izabel Nines de Oliveira, de 42 anos, moradora do Setor São Miguel. “Já tenho dois filhos, tive gravidez tubária e para evitar outra gravidez tomava pílula, mas passava muito mal, tremia muito”, explicou. Izabel já tinha implantado o DIU e estava fazendo o retorno no médico, tendo todo um acompanhamento.

Procedimento para implantação

A superintendente de Atenção Básica de Araguaína, Antônia Macedo, explicou que as mulheres que buscam algum método contraceptivo devem ir às unidades básicas de saúde onde são atendidas. Nas UBS, as mulheres assistem a uma palestra sobre educação em saúde, a qual explica sobre os métodos contraceptivos, tanto os reversíveis e os irreversíveis.

Após escolherem o DIU, são encaminhadas para o atendimento médico, sendo solicitados dois exames: PCCU, que é a prevenção do câncer do colo de útero, e o de gravidez. Se a mulher não estiver grávida e estiver tudo certo no exame, será feito o agendamento para a implantação do DIU. Depois disso, o médico fará um acompanhamento da paciente por um período de dois a três meses; após esse prazo, a mulher continuará suas consultas normalmente.

DIU

O Dispositivo Intrauterino é uma pequena peça de plástico recoberta com cobre que é colocado dentro do útero. O DIU tem uma eficácia de 99,4%, tendo uma duração de 3 a 10 anos, podendo ser removido a qualquer momento.

(Joselita Matos/Foto: Leila Mel)

Fazer um comentario