Pacientes da UPA recebem palestra sobre a Tuberculose

Pacientes da UPA recebem palestra sobre a Tuberculose

Segundo o Ministério da Saúde, o Tocantins tem a segunda menor taxa de incidência de tuberculose no Brasil com 11,2 casos para cada grupo de 100 mil habitantes. A média nacional é de 33,5. Contudo, os esforços para o combate à doença não podem diminuir, por isso o Instituto Brasileiro de Gestão Hospitalar – IBGH antecipou a celebração do Dia Mundial de Combate à Tuberculose (24 de março) e promoveu uma palestra para os pacientes na recepção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Araguaína Sul no dia 23.

O enfermeiro Leandro Barros, da Secretaria Municipal da Saúde, ficou encarregado de repassar para os presentes informações sobre sintomas, contágio e tratamento. “O diagnóstico é feito por um exame chamado bacterioscopia de escarro. Confirmando a doença, ele deve iniciar logo o tratamento, que é gratuito na rede pública de saúde”, informou Leandro. As dicas também valem para a prevenção da hanseníase, que, assim como a tuberculose, é transmitida por tosse, espirro e saliva.

A doença

A tuberculose é causada pelo Bacilo de Koch, atinge principalmente os pulmões, mas também pode acometer outros órgãos como rins, intestino, cérebro e ossos. O contágio acontece pelo contato direto com a saliva da pessoa doente por meio de espirros ou da fala.

A pessoa sabe que está com a doença se apresentar tosse com escarro por tempo prolongado (duas ou três semanas), falta de apetite, cansaço, dor no peito, febre baixa geralmente à tarde, perda de peso e suores noturnos.

Utilidade pública

A dona de casa Clarice Veloso da Silva reconhece que muitas vezes as pessoas têm dúvidas sobre a doença, por isso a palestra foi bastante útil. “Às vezes a gente está com o sintoma, igual o palestrante falou, tossindo há mais de três semanas, e não se atenta para a tuberculose”. “Eu já tinha ouvido falar da doença e a palestra esclareceu ainda mais porque a gente sempre precisa saber mais sobre a forma como é contraída e outros detalhes. Agora está bem mais fácil identificar quem está doente e assim orientar a pessoa a procurar um postinho de saúde para fazer o exame”, contou a compradora Sandra Regina Andrade de Bezerra.

(Foto: João Neto)

Fazer um comentario