Em Araguaína, vacinação contra H1N1 continua em todas as unidades básicas de saúde

Em Araguaína, vacinação contra H1N1 continua em todas as unidades básicas de saúde
Quem não vacinou no último sábado, dia D da campanha, pode procurar a UBS mais próxima da residência até o dia 20 de maio. Cerca de nove mil pessoas já foram vacinadas no Município

Em Araguaína, o primeiro dia de vacinação contra a gripe H1N1 contou com filas nas unidades básicas de saúde (UBS), realizado no último sábado, dia 30.  As pessoas chegaram logo no início da manhã para garantir a dose da vacina. Foram vacinadas aproximadamente nove mil pessoas. Em toda a campanha, a meta da Prefeitura, por meio da Secretaria da Saúde, é vacinar 80% do público-alvo, cerca de 34 mil pessoas. A imunização segue até o dia 20 de maio.

De acordo com a coordenadora do Centro Municipal de Imunização, Samilla Braga, as UBS continuam lotadas. “A procura nesta segunda-feira é muito grande. Em todas as unidades há pessoas. Acreditamos que, com essa procura da população, até o final da semana vamos vacinar mais da metade do público alvo, cerca de 45%”, destacou.
Imunização
O Dia D da campanha trouxe para as unidades várias pessoas, como o aposentado Lourenço Martins Araújo, de 83 anos. Ele acordou cedo e, acompanhado da esposa, Terezinha de Arruda Araújo, de 78 anos, foi até a UBS do Setor Vila Aliança e garantiram logo a vacina. “Há uns três anos que tomo a vacina e, desde então, nunca peguei gripe”, contou o aposentado.

O eletricista Jusciney Alves da Silva, trouxe o filho, o pequeno Nicollas Vieira da Silva, de apenas seis meses. “Acho muito importante a vacina. Trouxe meu bebê para garantir que ele fique protegido contra o vírus Influenza”, destacou.

Atendimentos nas UBS
Quem não compareceu às unidades no Dia D da campanha, pode procurar uma 19 unidades do Município, de segunda a sexta-feira, das 8 às 11h30 e das 13h30 às 17 horas munidos de um documento com foto e o cartão de vacinação. Nesta segunda etapa, no final do mês, os profissionais de saúde também irão imunizar os detentos e funcionários do sistema prisional.

Podem vacinar crianças de seis meses a menores de cinco anos, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto ou aborto), pessoas com 60 anos ou mais, trabalhadores da saúde, indígenas, e adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas.

(Gláucia Mendes/Foto: Marcos Filho)



Fazer um comentario