FACIT Aberta levou educação, serviços e conhecimento à comunidade de Araguaína

FACIT Aberta levou educação, serviços e conhecimento à comunidade de Araguaína

“A primeira proposta do FACIT Aberta foi fazer com o que o conhecimento saia dos muros da faculdade e chegue até a comunidade”. A afirmação da diretora da Faculdade de Ciências do Tocantins – FACIT, Ângela Maria Silva, resumiu bem o objetivo da primeira edição do projeto, que aconteceu no último dia 30 de abril, no campus II “Luiz Pires” da faculdade.

Alunos dos cursos de Administração, Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Odontologia uniram forças com professores e colaboradores e ofereceram uma verdadeira feira de atividades e informação para crianças, jovens em idade de vestibular a adultos.

“Usamos do empreendedorismo, disciplina hoje obrigatória em todos os nossos cursos, para estimular a participação dos alunos. Mas há também o intuito de trabalhar o processo de humanização, estimulando esse contato com as pessoas, sabendo reconhecer as fragilidades e potencialidades. Queremos mostrar para a população o que é produzido aqui no ambiente acadêmico e a importância que tem para a vida de todos”, reforçou a diretora.

Comida e empreendedorismo

Logo na entrada do bloco de ensino, várias barracas foram montadas para oferecer comidas e bebidas variadas aos participantes. O intuito também foi de arrecadar dinheiro para as comissões de formatura. Foi o caso da turma do 5º período de Odontologia que escolheu vender produtos derivados do milho.

“É muito bom porque a gente tem um contato maior com a sociedade, conhece mais as necessidades deles. A gente consegue tem mais detalhes sobre as demandas da comunidade quando temos o contato no exercício da profissão. Desta forma, podemos melhorar nosso atendimento”, disse a aluna Amanda Ribeiro Amorim.

Já a turma do primeiro período de Administração apostou em algo até então nunca visto na cidade: comida mexicana. “Fizemos o planejamento com o professor e passamos por todas as etapas até chegar aqui. Mas o grande ganho é conhecimento adquirido com a prática e com o contato com o público consumidor”, explicou a acadêmica Lívia Elza Lima da Silva.

A parte gastronômica do FACIT Aberta ainda teve tortas, mini pizzas, cachorro quente, doces, bolos, cupcakes, algodão-doce, açaí, sorvete, refrigerante, pipoca, crepes, balas, chiclete, galinhada, entre outras opções.

Futuro profissional

Nas salas, foram oferecidas palestras vocacionais sobre Gestão, Tecnologia e Saúde para alunos de um colégio particular da cidade. Os professores dos cursos da FACIT se encarregaram de mostrar o que cada profissão exerce no mercado e despertar o interesse de jovens, como o aluno do ensino médio Ruiter Júnior Pereira Borges de Abreu.

“É interessante essa iniciativa porque, no terceiro ano, tem muita pressão pra gente escolher o curso, decidir o que a gente quer fazer. E ver de perto o campus, conhecer a realidade da vida universitária ajuda a gente a escolher qual área combina mais com o perfil da gente”, contou o aluno.

Saúde

Na clínica da FACIT, o público recebeu orientações sobre saúde bucal e ainda participou de triagens para atendimentos futuros. Houve, ainda, outras triagens para doação de sangue e informações pediátricas sobre a saúde das crianças. Já o teatro de fantoches dos professores de Odontologia prendeu a atenção das crianças, que aprenderam de forma lúdica a como escovar corretamente os dentes para evitar cáries e outros problemas.

Conhecimento e games

Em outra sala, alguns alunos do ensino-médio participaram da Olimpíada de Matemática. Os três primeiros colocados ganharam medalhas e troféu, isenção na taxa do vestibular e desconto nas matrículas quando forem aprovados.

Os games também tiveram destaque no FACIT Aberta. Os alunos de ADS ofereceram vários jogos de consoles modernos com intuito de apresentar um pouco da atividade de um profissional de Tecnologia da Informação.

“A gente procurou interagir com eles e mostrar a relação que o nosso curso tem com os games. Nós podemos desenvolver jogos no futuro e isso pode despertar um interesse nos jovens, que já gostam desta área”, lembrou o aluno do primeiro período, Kevin Wellisson.

Objetivo alcançado

O coordenador do curso de Administração, Vagner Ribeiro, enalteceu o envolvimento de todos na organização do evento. “Foi um trabalho árduo de mobilização dos públicos de interesse, mas cumprimos nossa meta graças ao empenho dos coordenadores de cursos e professores”.

Segundo observou o professor da FACIT, Jean Pierre Chassot, “o curso superior não está estritamente voltado para os ensinamentos técnicos, mas também para os sociais, formar cidadãos. O objetivo do nosso projeto ‘Educar para Salvar’, que também desenvolvemos aqui dentro, tem por finalidade reforçar essa cidadania. Estamos buscando a qualificação profissional dos alunos com esse viés mais social”.

(Foto: Ricardo Sottero)



Fazer um comentario