Pai desmente que Pokémon GO estaria envolvido em acidente fatal no rio Tramandaí

Pai desmente que Pokémon GO estaria envolvido em acidente fatal no rio Tramandaí

Márcio Fernandes, o pai do menino que sobreviveu e testemunhou o acidente, João Pedro Fernandes, veio a público desmentir as declarações do filho de que os meninos estavam “caçando pokémons” no rio. Segundo Márcio, Artur, a vítima, nem tinha celular, enquanto João Pedro, seu filho, não tem um aparelho compatível com Pokémon GO.

Eles estavam jogando bola na frente de casa e decidiram entrar no caíco, que não estava preso e se soltou. Eles nunca tinham feito isso antes. O João Pedro pulou na água, tentou achar o Artur e não conseguiu.

A versão anterior teria sido dada pela Brigada Militar, que se baseou no que João Pedro havia contado aos vizinhos logo depois do acidente. As informações novas vêm do jornal local Diário Gaúcho.

ORIGINAL: Artur Bobsin Ferreira, um menino de apenas 9 anos, se afogou ontem no rio Tramandaí, no Rio Grande do Sul, depois de tentar caçar pokémons a bordo de um pequeno barco de fibra com um amigo. A embarcação virou enquanto os dois jogavam Pokémon GO e Bobsin desapareceu nas águas, para apenas seu corpo ser localizado no fim do dia.

O relato veio do menino que conseguiu se salvar, cuja identidade não foi divulgada. Ele contou que o barco era usado por pescadores da região e ficava num terreno baldio perto da casa de um deles. Sem autorização ou a supervisão de um adulto, os dois pegaram o barco de fibra e tentaram jogar Pokémon GO no rio, mas o acidente logo ocorreu. O corpo do jovem Arthur foi encontrado por volta das 20h e a investigação do caso será conduzida pela Polícia Civil de Imbé. Esse é o primeiro caso confirmado de um acidente fatal no Brasil envolvendo o novo aplicativo.

 

(Uol Noticias)



Fazer um comentario