Alunos e professores da FACIT foram ao Rio Araguaia executar projeto de recuperação da mata ciliar

Alunos e professores da FACIT foram ao Rio Araguaia executar projeto de recuperação da mata ciliar

A preocupação da Faculdade de Ciências do Tocantins – FACIT em provocar a conscientização ambiental nos alunos e colaboradores foi além das fronteiras da faculdade. Neste mês de agosto, 16 alunos da instituição, acompanhados de três professores, do coordenador do curso de Administração e de membros da diretoria, executaram o projeto “Proteção de Mata Ciliar do Rio Araguaia” no município de Araguanã e no assentamento Vitória Régia.

A diferença

O novo projeto é uma ramificação do tradicional “Plantar e Cuidar”, desenvolvido pela FACIT com os alunos calouros a cada semestre e que objetiva reflorestar todo o campus II da faculdade. “Mas ir até o rio foi, realmente, a ação mais impactante nossa até o momento. Vários órgãos já entraram em contato nos parabenizando. Queremos fazer uma ação por ano e a proposta é termos uma base às margens do rio e estamos bem adiantados nisso”, comentou a diretora da FACIT, Ângela Maria Silva.

Educação in loco

De barco, o grupo visitou comunidades ribeirinhas e distribuiu panfletos com orientações sobre a importância da proteção e recuperação das matas ciliares às margens do rio. Houve ainda a entrega de mudas de plantas nativas para os moradores da região e o plantio ao longo do percurso dos rios Araguaia e Murici.

De acordo com o professor Vagner Cavalcanti Ribeiro, coordenador do curso de ADM, a essência do projeto é a interdisciplinaridade dos cursos da FACIT. “Visamos o uso prático dos conteúdos das disciplinas e a validação na aplicação em situações cotidianas nas organizações”.

Responsabilidade profissional

O aluno de ADM, Leilton Arcebispo dos Anjos, lembrou que a iniciativa é uma das maneiras de combater o assoreamento de rios, lagos e córregos e uma forma de garantir recursos hídricos para as gerações futuras. “E o nosso papel como profissionais da Administração é sermos multiplicadores dessa conscientização, levando as informações para toda a sociedade, principalmente os diretamente ligados a isso, como ribeirinhos e fazendeiros”.

Foco ambiental

O projeto “Proteção de Mata Ciliar do Rio Araguaia” foi criado para ser alinhado às ações socioambientais da instituição, como o Plantar e Cuidar. Só que o foco agora é a recuperação da mata ciliar de rios da região da Bacia do Rio Araguaia.

“Além dos visíveis ganhos ambientais, queremos que os nossos alunos vivenciem, na prática, a eficácia do aprendizado e que sintam sempre motivados para praticar a preservação. A ação foi linda, motivadora e de grande responsabilidade com as gerações futuras”, disse a diretora da FACIT.

Etapas do projeto

Dividido em três fases, a primeira etapa foi conduzida pelo coordenador Vagner nas salas de aula e laboratório de informática, onde foram realizadas reuniões de discussão e pesquisas em sites especializados sobre os problemas que o assoreamento dos rios causa à população e à economia da região. Uma cartilha técnica foi elaborada para auxiliar nos trabalhos.

Antes da visita já na margem do Rio Araguaia, os alunos participaram de uma capacitação com os docentes presentes. A professora Luana Bispo de Assis, mestre em Direito Agrário, realizou uma palestra sobre a importância da preservação das matas ciliares, dando ênfase às questões legais.

Já o professor Marcelo Molina Mari explanou sobre os efeitos econômicos para a região, tendo sua fala complementada pelo professor Sinclair Ribeiro Gonçalves, que também é empresário e trabalha com produtos e serviços voltados ao agronegócio, sendo profundo conhecedor das realidades da região.

Em seguida foi colocada em prática pelos alunos e professores a segunda fase do projeto que foi o trabalho de campo com a distribuição das cartilhas técnicas, mudas nativas e o plantio.

Nas visitas, os professores e alunos puderam compartilhar as informações com a comunidade ribeirinha, que elogiaram a iniciativa e se comprometeram a apoiar o projeto.

Já na terceira etapa, a ideia é fortalecer a recuperação das áreas degradadas da mata ciliar dos rios da região da Bacia do Rio Araguaia por meio do plantio de árvores nativas da região, mantendo a conscientização da população sobre o tema.



Fazer um comentario