Estudante da Apae de Araguaína vence duas categorias no Festival Nossa Arte

Estudante da Apae de Araguaína vence duas categorias no Festival Nossa Arte

Com uma apresentação marcada pelo encanto e pela emoção, o estudante Rafael Pereira de Lima, de 22 anos, aluno da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Araguaína, venceu o 10º Festival Nacional Nossa Arte, promovido pela Federação das Apaes do Tocantins. Ele venceu nas categorias artes cênicas e musical. A vitória lhe deu a oportunidade de participar da edição nacional do festival, marcada para acontecer em dezembro, na cidade de Olinda, Pernambuco.

O festival contou com a presença de cerca de 800 pessoas, e foi realizado no Glamour do Lago, em Araguaína, nos dias 26 e 27, com apresentações de alunos das Apaes do Tocantins, que mostraram seus talentos na dança, música, artes cênicas, artes visuais, dança folclórica, arte literária e artesanato.

A orientadora educacional da Diretoria Regional de Educação de Araguaína, Simone Elias, contou que começou e ensaiar com Rafael no mês de maio. Nas artes cênicas, o estudante apresentou um texto adaptado, intitulado Aprendizado, de autoria do dramaturgo inglês William Shakespeare. “Ele estava vestido de Pierrot e tirava, de uma caixa, objetos e, a cada objeto, ele lia um texto de reflexão com lições de vida. Na apresentação musical, ele estava vestido de Lampião, acompanhado com triângulo, zabumba e violão. Podemos dizer que o festival foi ótimo e nos proporcionou um espetáculo maravilhoso”, explicou Simone Elias.

O evento foi organizado em conjunto com a Apae de Araguaína e a Escola Estadual Raios de Luz. Participaram dessa edição do Festival, 562 pessoas, sendo 248 alunos de 20 Apaes do Tocantins. A Apae de Araguaína concorreu em seis categorias.

A diretora regional de Educação de Araguaína, Maria Florismar do Espírito Santo, explicou que o momento foi muito importante para divulgar o trabalho realizado pelas Apaes no Tocantins. “Somente vendo a apresentação desses alunos é que temos uma ideia de como eles são capazes e como ficam felizes ao realizarem suas apresentações. É muito gratificante acompanhar as ações realizadas pelas Apaes”, disse.

(Josélia de Lima)



Fazer um comentario