Colégio da Polícia Militar publica edital de processo seletivo para alunos

Colégio da Polícia Militar publica edital de processo seletivo para alunos




O Colégio da Polícia Militar do Estado do Tocantins (CPM-TO) está com edital publicado, considerando o processo seletivo para novos alunos quanto ao ano letivo de 2017. A publicação está disponível no Diário Oficial do Estado (DOE) nº 4.730, dessa terça-feira, 25, e traz todas as informações quanto ao número de vagas e suas respectivas distribuições entre as três unidades do colégio no Estado. As inscrições deverão ser realizadas entre 1º e 30 de novembro, e as provas serão realizadas no dia 11 de dezembro.

De acordo com a subtenente Glaucilene Gonçalves da Silva, membro da comissão organizadora do processo seletivo, estão sendo disponibilizadas 735 vagas para as duas unidades de Palmas e a de Araguaína. “Em Palmas, nós temos ensino fundamental ofertado na Unidade I e ensino médio regular e técnico em redes de computadores e instrumentos musicais; em Araguaína, é oferecido o ensino médio regular”, explicou.

Conforme o edital do certame, do total de vagas oferecidas, 555 são para as duas unidades de Palmas, sendo 130 para o ensino fundamental (6º ao 9º ano); 230 para o ensino médio técnico em redes de computadores (integral); 25 para o ensino médio técnico em instrumentos musicais (integral) e 170 para o ensino médio regular (integral). Já para a unidade de Araguaína, são ofertadas 180 vagas para o ensino médio regular, distribuídas igualmente entre os períodos matutino e vespertino.

As inscrições devem ser feitas pelo site da Polícia Militar, entre as 10 horas do dia 1º de novembro e as 23h59 do dia 30 de novembro. Os interessados devem portar RG e o CPF para efetivarem a inscrição.

As provas objetivas (Língua Portuguesa e Matemática) serão elaboradas pelo Sistema de Avaliação da Aprendizagem Permanente do Estado do Tocantins (Sisapto) e aplicadas no dia 11 de dezembro em locais ainda a serem divulgados pela comissão organizadora do certame. Cabe ressaltar que os estudantes deverão fazer as provas na cidade que escolheram estudar.

(Philipe Bastos/Foto: Manoel de Lima)

Fazer um comentario