Após ocupação, administrativo da UFT de Araguaína volta a funcionar

Após ocupação, administrativo da UFT de Araguaína volta a funcionar

Após 23 dias de ocupação da Universidade Federal do Tocantins (UFT), em Araguaína, os blocos administrativos do campus Simba voltam a funcionar normalmente. A ocupação era uma forma de protesto contra a Pec 55, que estabelece limite para os gastos públicos, reformulação do ensino médio, além de pautas locais. 

Cerca de 40 estudantes dormiram nas salas de blocos administrativo da universidade desde o dia 31 de outubro e com isso os serviços ficaram comprometidos. Os portões do campus chegaram a ficar fechados por quase 10 dias.

Entre os protestos, os estudantes também cobravam mais segurança dentro do campus, já que uma proposta pretendia reduzir a quantidade de guardas de 34 para 18, mas após acordo, foi  decidido que ficariam 27 funcionários. Houve cobrança também por transparência na prestação de contas.

Segundo o diretor do campus Cimba, José Manoel Ribeiro, haverá reunião entre diretores do campus, membros da ocupação e reitoria.

Para a estudante, Samire Mariele, todos os dias de ocupação valeram a pena. “A gente conseguiu nosso ônibus para o Restaurante Universitário, que fica fora do campus”, disse.

Seguem ocupados os campus da UFT de Porto Nacional, Miracema do Tocantins, Tocantinópolis e Arraias, além do Instituto Federal do Tocantins em Araguatins.

 

(Do G1, Tocantins)

Fazer um comentario