Depoimentos marcam Semana de Luta Antimanicomial em Araguaína

Depoimentos marcam Semana de Luta Antimanicomial em Araguaína




Declarações de Geiza e Matheus, acompanhados pelo CAPS, emocionaram quem passava pela Praça das Nações nesta manhã; programação da semana segue nesta noite com filmes e debates

 

Com o tema “Faz escuro, mas eu canto liberdade” aconteceu hoje várias atividades da 15ª Semana de Luta Antimanicomial em Araguaína, entre elas depoimentos de pessoas que estão sendo acompanhadas pelo Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), como a Geiza Barros Miranda e Matheus Lins Carneiro. A programação foi realizada na Praça das Nações e continua hoje à noite com exibições de filmes e debates promovidos por universidades.
 
Pessoas que passavam pela praça pararam para assistir o depoimento da Geiza, de 44 anos. Vestida em uma blusa com estampa de mulher maravilha, ela parecia realmente uma super-heroína e o que ela defende é o direito de viver e ser bem tratada.
 
“Sou dependente química há mais de 30 anos, comecei na maconha e em 2008 conheci o crack. Foram muitos altos e baixos, mas o cuidado que estou tendo no CAPS tem me deixado melhor. O tempo mais difícil foi quando me internaram em uma clínica particular, sofri muito, fui intoxicada e não melhorei”, relatou.
 
Geiza contou que hoje ela se sente bem e está determinada em deixar de vez os tóxicos. “No CAPS assisto filmes, participo de oficinas e de outras atividades, eu me sinto em casa”, completou.
 
O jovem Matheus, de 21 anos, está em Araguaína há apenas seis meses, veio de Pernambuco com a mãe. “Eu já estive preso e recentemente fui internado em uma clínica que fechou.  Comecei o tratamento no CAPS tem um mês e já me sinto bem melhor, quero deixar o vício. Fiz um curso de corte de cabelo e vou tentar trabalhar nessa área porque gostei”, disse.
 
Não ao isolamento

O coordenador do Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas (CAPS/AD), Klaubher Feitosa, explicou que um dos principais objetivos da semana é conscientizar a sociedade para que evitem o isolamento das pessoas que buscam tratamento de saúde mental nos centros de atenção psicossocial.
 
“Sem saúde mental não há saúde e esse acompanhamento tem que ser feito em conjunto da pessoa em tratamento e da família que precisa caminhar junto”, destacou
 
Realização

A Semana de Luta Antimanicomial, realizada de 15 a 18 de maio, foi organizada pelo CAPS AD, CAPS I, CAPS II, Centro Universitário ITPAC, Faculdade Católica Dom Orione, Secretarias Municipal e Estadual de Saúde.

Os CAPS de Araguaína ficam localizados nos seguintes endereços: CAPS AD na Rua 12 de Outubro, nº 459, no Centro; CAPS II à Rua Castelo Branco, 40, no Setor Rodoviário; e CAPS I na Rua Deusarina Aires, nº 11, no Jardim Filadélfia.

 

(Gláucia Mendes/Fotos: Marcos Filho)

Fazer um comentario