Dia D de combate ao fumo e colesterol teve ação do IBGH no Parque Cimba

Dia D de combate ao fumo e colesterol teve ação do IBGH no Parque Cimba




O público que foi curtir o final de tarde no Parque Cimba, no último dia 18, encontrou algo diferente e bastante informativo. Colaboradores do Hospital Municipal de Araguaína (HMA) e da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), geridos pelo Instituto Brasileiro de Gestão Hospitalar – IBGH, organizaram uma ação de conscientização em comemoração ao Dia D de Combate ao Fumo e Colesterol (29 de agosto).

Com uma equipe composta por enfermeiros, nutricionistas e assistentes sociais, os profissionais deram orientações sobre os riscos do fumo, do colesterol alto e da importância de uma boa alimentação aliada a exercícios físicos regulares.

O IBGH contou ainda com a ajuda de acadêmicos de medicina do ITPAC e do professor de Zumba do SESI, Ivan Mousinho.

A analista de RH do IBGH, Elizangela Rocha, disse que o local foi escolhido estrategicamente por ser um ponto de reunião para os praticantes de caminhada e outros esportes no final da tarde. “Queríamos atingir o máximo de pessoas, mostrar para a população o perigo que os maus hábitos trazem para a saúde de todos”, explicou.

Sua saúde está em dia?

Durante todo o fim de tarde, os frequentadores do Parque Cimba puderam aferir a pressão arterial, calcular o Índice de Massa Corporal (IMC), baseado em altura e peso, e medir a circunferência abdominal. Baseado nesses dados, os nutricionistas davam orientações para uma alimentação mais saudável, além de dicas para exercícios físicos.

“Recomendamos também o fim do vício do fumo, porque esse hábito afeta não só ao fumante, mas todos a sua volta. Falamos sobre alimentação saudável e ensinamos aos que tem colesterol alto sobre como reduzir, controlar e até mesmo prevenir”, informou a nutricionista do Hospital Municipal de Araguaína, Yasmym Oliveira.

A pedagoga Meiriane Alves aferiu a pressão, conversou com a nutricionista e descobriu que está com a saúde em dia. “A maioria das pessoas hoje precisa de acompanhamento alimentar, porque estamos expostos a muitas doenças causadas pela má alimentação como a diabetes. Ter esse tipo de orientação prévia ajuda muito”, disse.

Mais do que dança

As atividades incluíram uma aula de zumba com o professor Ivan Mousinho, que explicou que a atividade é completa. “A zumba é um programa de treinamento que envolve vários ritmos musicais, é muito mais do que uma aula de dança. As pessoas podem alcançar uma melhor forma física por meio da zumba”, destacou Ivan.

 

(Foto: João Neto)

Fazer um comentario