Ação inclusiva reúne mais de 600 deficientes no Parque Cimba

Ação inclusiva reúne mais de 600 deficientes no Parque Cimba
Evento realizado em alusão ao Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência propôs a interação e o uso dos espaços públicos pelos deficientes

 
 

Mais de 600 pessoas participaram, na manhã de ontem, de uma ação inclusiva em comemoração ao Dia Nacional da Luta da Pessoa com Deficiência. O evento aconteceu no Parque Cimba, envolvendo alunos das redes públicas municipal e estadual, usuários do Centro-Dia de Referência da Pessoa com Deficiência, da Associação das Pessoas com Deficiência de Araguaína (ADA), da Clínica-Escola Mundo Autista, da Central de Interpretação de Libras (CIL) e da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE).
 
Durante toda a manhã, foram realizadas diversas atividades de interação, brincadeiras, esportes, sorteio de brindes, plantio de mudas de árvores, exposições de artes, leitura inclusiva, teatro e apresentações musicais.
 
A Ana Beatriz é deficiente visual, mas a deficiência não a impediu de interagir e aproveitar o evento. “Posso sentir o cheiro das pessoas, sinto elas mais perto de mim. É um momento de emoção. Nem sei o que falar, mas estou muito feliz!”, comentou.
 
Aproveitando todas as atividades ao lado da psicopedagoga Marta Lagares, o pequeno Fernando Veloso, que tem deficiência múltipla, resumiu o que estava sentindo: “Todo esse carinho em um dia todinho pra mim e meus amigos. Hoje é um dia que não vou esquecer!”.
 
A ação, promovida pela Prefeitura, por meio da Secretaria da Educação, Cultura, Esporte, Lazer e Juventude, ainda contou com a 1ª Mostra de Arte com obras confeccionadas no Centro-Dia da Pessoa com Deficiência.
 
Inclusão
A Prefeitura ainda conta com o Núcleo de Apoio Pedagógico aos Deficientes Visuais de Araguaína. O departamento vinculado à Diretoria de Ensino Especial tem por missão apoiar e favorecer a inclusão escolar e social dos cegos. O núcleo ainda é responsável por produzir recursos e matérias acessíveis em Braille e relevo para adequação das atividades pedagógicas aos estudantes cegos ou com baixa visão. O núcleo realiza ainda cursos de braile, orientação e mobilidade, além da formação de professores.

A Prefeitura também vem desenvolvendo ações de inclusão com os profissionais que atuam nos órgãos públicos municipais e oferta o Curso da Língua Brasileira de Sinais (Libras), estendendo assim o atendimento inclusivo a todos os órgãos.

 
 
(Mara Santos/Fotos: Abdon Barbosa)

Fazer um comentario