Surdos contarão com atendimento inclusivo nas secretarias do Município 

Surdos contarão com atendimento inclusivo nas secretarias do Município 




Os primeiros 30 servidores capacitados receberam os certificados do Curso de Libras nesta quarta-feira 6. O objetivo é ampliar o atendimento para surdos e pessoas com deficiência auditiva

Servidores da Secretaria da Assistência Social, Trabalho e Habitação de Araguaína fizeram parte da primeira turma do Curso da Língua Brasileira de Sinais (Libras) para colaboradores do Município. Os certificados foram entregues na tarde desta quinta-feira 6, em solenidade realizada na sede da secretaria. Em 2018, outras turmas farão a capacitação para ampliar o atendimento inclusivo para surdos e pessoas com deficiência auditiva nos outros 17 órgãos e autarquias públicos municipais.

De acordo com a secretária da Assistência Social, Fernanda Ribeiro, a realização dos cursos foi após perceber que há um grande número de surdos que recebem atendimentos nas secretarias. “Atendemos 1.146 pessoas surdas ou com alguma deficiência auditiva. Agora iremos ampliar e oferecer o curso para outros setores e secretarias”, disse.

Comunicação acessível
Durante a entrega dos 30 certificados, era perceptível a alegria dos servidores, que aplaudiam já usando a Libras. Todos se apresentaram utilizando os sinais e agradeceram a oportunidade.

A assistente social Daiana Cris de Souza Oliveira trabalha na diretoria de Políticas Públicas Setoriais. “Estou muito feliz em receber esse certificado. Vejo a capacitação como uma forma de humanizar o nosso atendimento. Muitos dos nossos usuários são portadores de deficiência, podermos nos comunicar com eles é uma forma de acessibilidade na comunicação”.

A professora intérprete da Central de Interpretação de Libras (CIL), Edla Alencar, destacou que cada vez mais o centro vem buscando atitudes inclusivas para melhoria na qualidade do atendimento.

Mais capacitação
Durante a solenidade, os participantes ainda tiveram a palestra “Triagem Auditiva Neonatal”, com o médico otorrinolaringologista Daniel Braz, destacando os cuidados com a audição na primeira infância.

O médico falou sobre o teste da orelhinha, surdez e uso do fone de ouvido. “Os pais devem ficar atentos e observar se as crianças não estão com o som muito alto e não deixar que passem muito tempo ouvindo os sons”, frisou.

Sobre a surdez, o médico explicou que a pessoa pode nascer surda ou ter a deficiência por vários fatores, como por exemplo algum problema no parto, remédios ou doenças como catapora, rubéola e outras que podem atacar as células do ouvido e a pessoa ter a perda total ou parcial.

 

(Gláucia Mendes/Fotos: Marcos Filho)

Fazer um comentario