2ª Feira do Trabalho de Araguaína reúne mais de 30 artesãos na Praça das Bandeiras

2ª Feira do Trabalho de Araguaína reúne mais de 30 artesãos na Praça das Bandeiras




Visitantes podem adquirir peças de decoração, itens para presente, além de alimentos; microfone aberto dá oportunidade a artistas locais

 

Mais de 30 artesãos participam, nesta quinta e sexta-feira, 14 e 15, da 2ª edição da Feira do Trabalho de Araguaína. Além de artesanatos e alimentos, os visitantes da feira podem assistir a apresentações culturais e têm à disposição informações sobre empreendedorismo e inscrições para cursos profissionalizantes do Programa Acessuas Trabalho. A feira funciona das 15 às 20 horas, na Praça das Bandeiras.

Os preços variam de R$ 1 a R$ 100. Entre os artesanatos, as opções são diversas, tem tapete de malha, biscuit, peças de decoração natalina, roupinhas infantis em crochê, bonecas de pano e em feltro, pesos de porta, pano de prato, quadros decorativos, móveis em pallet e até churrasqueiras produzidas com a reutilização de peças de bicicleta. No setor de alimentos, tem pães, bombons, trufas, bolo no pote, pipoca com leite em pó, entre outros.

A artesã Glória Araújo está participando pela primeira vez da Feira do Trabalho e conta que está otimista com a expectativa de aumentar as vendas nesse período de troca de presentes. “É uma oportunidade de divulgar o nosso trabalho, mesmo que a gente não consiga vender o quanto espera, depois o retorno vem”, comentou.

Além da comercialização de itens diversos, a feira conta ainda com o microfone aberto, dando oportunidade aos artistas locais que tiverem interesse em se apresentar e mostrar seu talento. O evento é realizado pela Prefeitura, por meio da Secretaria da Assistência Social, Trabalho e Habitação. 

Assistência Social
“A feira foi criada para atender às demandas dos nossos alunos que concluem os cursos profissionalizantes, como uma forma de otimizar, humanizar e comercializar os produtos fabricados por eles. É uma forma de mostrar à comunidade que aquela pessoa, que talvez está desempregada, participou de uma capacitação e hoje está produzindo, garantindo sua renda”, destacou o coordenador da feira, Jhenmerson Rodrigues.

O diferencial da feira é o layout sustentável, com reciclagem de materiais. “A gente utiliza bancadas feitas de pallet, bobinas, caixotes de frutas e verduras, porque a gente sabe que tem potencial humano, mas o financeiro para montar a banca, às vezes o artesão não dispõe, por isso criamos essa forma inovadora, sustentável, para fazer a apresentação”, explicou Rodrigues.

 

(Mara Santos/Fotos: Marcos Filho)

Fazer um comentario