Em três meses, UTI Pediátrica de Araguaína já conta com casos de superação

Em três meses, UTI Pediátrica de Araguaína já conta com casos de superação




Um deles é o de Amanda Vitória da Silva, que teve a vida salva por duas vezes na unidade. Para manutenção da UTI, doações podem ser feitas ao Fundo da Infância e Adolescência

A menina Amanda Vitória da Silva, de apenas três meses de idade, teve sua vida salva duas vezes após internação na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Pediátrica, do Hospital Municipal Eduardo Medrado. Com vitória em seu nome, ela conseguiu enfrentar problemas respiratórios graves após 15 dias internada na unidade. São casos de superação como o da Amanda que têm motivado muitas pessoas a doar para o Fundo da Infância e Adolescência (FIA) e manter a UTI em funcionamento.

Um destes doadores é a Silvia Maria Albuquerque Soares, de 38 anos, que desde fevereiro destina mensalmente R$ 100 ao FIA. A doação é deduzida do Imposto de Renda. Ela, que é analista jurídica do Ministério Público e mãe da Viviam, de 10 anos, e do Antônio de quatro meses, diz ter consciência da importância do FIA para garantir o funcionamento da UTI Pediátrica e outros programas. “Mesmo morando em Palmas, eu faço às doações para Araguaína porque é o fundo mais estruturado que conheço”. 

Superação
A primeira internação de Amanda foi no dia 7 de setembro e a segunda em 1º de outubro. De acordo com a mãe, Maria das Dores da Silva, 28 anos, a menina é normalmente agitada e chegou a Araguaína praticamente desacordada. Na última quinta-feira, 11, depois de quase 30 dias internada, ela recebeu alta médica para voltar para a casa, em Tocantinópolis.

“Estávamos em Luzinópolis, quando de repente ela começou a ficar cansada. Fomos ao postinho de Saúde, onde o médico fez massagem peitoral e pediu para que fôssemos a Tocantinópolis. Lá, pediram a transferência urgente para Araguaína”, contou Maria das Dores.

Amanda agora passará por acompanhamento mensal no Hospital de Doenças Tropicais (HDT) para identificar o motivo do agravo. Ainda segundo Maria das Dores, há suspeita de uma alergia pulmonar. “Ainda bem que chegando a Araguaína tinha vaga na UTI Pediátrica, estava muito preocupada com uma possível falta de leito. Graças a Deus, o atendimento foi ótimo e eu tive muita confiança nos médicos”.

Manutenção
Desde o início de seu funcionamento, em julho deste ano, 21 crianças já passaram pelos dez leitos da UTI Pediátrica do Hospital Municipal de Araguaína, sendo que dessas, cinco ainda continuam internadas.

A implantação da UTI Pediátrica de Araguaína só foi possível com parte de recursos de doações ao Fundo de Infância e Adolescência (FIA) de Araguaína, por meio da dedução do Imposto de Renda (IR).

O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), que administra o recurso do FIA, já deliberou a aplicação de R$ 1,1 milhão à unidade. Além disso, a Resolução 10/2018, de 4 de maio de 2018, determina que 50% dos valores doações ao fundo irão para a UTI Pediátrica.

Neste ano, houve queda nos valores e no número de doações em relação a 2016, caindo do montante de R$ 177 mil, em 166 doações, para R$132 mil, em 99 doações. As doações podem ser feitas durante todo o ano, com restituição no Imposto de Renda (IR) do ano corrente, até 28 de dezembro. Após o período, as doações são feitas durante o período de declaração do IR, sem restituição.

Como doar
Quem quiser contribuir com o FIA, pode fazer sua doação de duas maneiras: no site www.fia.araguaina.to.gov.br, o doador clica na guia “Faça sua doação”, que abrirá um formulário com dados pessoais e o valor que pretende doar. Após preenchidas as informações, é só clicar na opção “Enviar doação”, que o sistema gera um boleto e o envia para o e-mail do doador.

A segunda opção é através de depósito bancário, no Banco do Brasil, Agência 0638-6, Conta Corrente 77.217-8. O CNPJ do FIA é 18.786.212/0001-01.  
 

 

(Marcelo Martin/Foto: Marcos Filho Sandes)

Fazer um comentario