Mutirão intensifica diagnóstico de novos casos de hanseníase em Araguaína

Mutirão intensifica diagnóstico de novos casos de hanseníase em Araguaína




Até a próxima sexta-feira, 23, serão realizados exames físicos para busca de sinais e sintomas da doença nas UBS em áreas com maior suspeita de casos

Com o objetivo de intensificar as ações de combate e controle a hanseníase, a Prefeitura de Araguaína, por meio da Vigilância Epidemiológica, realiza até a próxima sexta-feira, 23, um mutirão de atendimentos. Quatro Unidades Básicas de Saúde (UBS) recebendo pacientes para diagnostico de novos casos da doença na cidade. Hoje, as consultas foram na UBS do Setor Nova Araguaína.

O mutirão será das 8 às 18 horas. Os pacientes passarão por um exame de avaliação física que identifica os primeiros sinais e sintomas da hanseníase, procedimento realizado pela equipe de enfermagem das unidades. Em caso de suspeita, a pessoa é encaminhada a consulta médica para confirmação e início do tratamento na própria UBS.

“Seguimos intensificando o trabalho de diagnóstico e combate a hanseníase com várias ações ao longo do ano. Esse mutirão é mais uma forma de acelerar nossa busca por novos casos e oferecer o tratamento”, explica a enfermeira responsável pelo programa, Stela Lúcia Monteiro.

Ele ainda diz que é muito importante que a população se conscientize que para quebrar a cadeia da doença é necessário aderir as campanhas. “Precisamos livrar essa doença de qualquer preconceito”, conclui.

Casos da doença

Em Araguaína, com a ampliação da área de atuação de combate e com a continua capacitação dos profissionais que contribuem com o programa, o Município registra queda no número de casos de hanseníase. 

Em 2013, foram diagnosticadas 154 pessoas com a doença. Em 2015, a quantidade de diagnósticos diminuiu em 18%. No ano passado, os números seguiram em queda, desta vez de 30%, identificando 107 novos casos. Em 2018, até agora, de acordo com a Vigilância Epidemiológica, 112 pacientes estão tratamento.

Araguaína e o combate a hanseníase

O enfrentamento da hanseníase baseia-se na busca ativa de casos novos para o diagnóstico precoce, tratamento oportuno, cura, prevenção das incapacidades e exame dos contatos, como forma de eliminar fontes de infecção, interrompendo a cadeia de transmissão da doença.

Desde 2017, Araguaína faz parte do projeto Abordagens inovadoras para intensificar esforços para um Brasil livre da Hanseníase, do Ministério da Saúde.O Município foi selecionado para o projeto pela disponibilidade de serviços, de profissionais de saúde e intervenção pedagógica.

“Com nossa inserção nesse projeto nós triplicamos o número de contatos, aumentaram os diagnósticos e para nós isso é muito positivo, afinal, quanto mais se identifica a doença, maior a garantia do tratamento”, disse a responsável pelo combate no município.

Sinais e sintomas

A Hanseníase é uma doença crônica, transmissível, de notificação compulsória e investigação obrigatória em todo território nacional. É caracterizada por infecções na pele e nervos periféricos. A transmissão se dá por meio das vias aéreas superiores de uma pessoa doente sem tratamento para outra, pelo contato prolongado.

O diagnóstico e o tratamento da hanseníase são ofertados pelo SUS, disponíveis nas unidades públicas de saúde.

Cronograma Mutirão

Dia 22 (Quinta-feira)

08 às 18h – UBS Avany Galdino da Silva – (Avenida São Francisco, esq. com a Guaíba – Araguaína Sul)

Dia 23 (Sexta-feira)

08 às 18h – UBS José de Sousa Rezende – (Rua São João Batista, Lote 2, Quadra 1-D – Setor Alto Bonito)

 

(Adriana Santana/Foto: Marcos Filho Sandes)

Fazer um comentario