Araguaína recebe mutirão de testes rápidos das hepatites B e C neste sábado

Araguaína recebe mutirão de testes rápidos das hepatites B e C neste sábado




Serão ofertados 800 testes gratuitos direcionados para homens e mulheres com mais de 40 anos. Os testes também são disponibilizados nas unidades básicas de saúde de Araguaína

Estima-se que exista mais de 400 milhões de pessoas com os vírus das hepatites B e C, sendo apenas 5% diagnosticados. A falta de conhecimento sobre a doença contribui para que a Hepatite C mate duas vezes mais do que a Aids. Ambas são doenças transmissíveis sexualmente ou pelo sangue. Para alertar sobre esse perigo, um mutirão de testes rápidos será realizado neste sábado, 3, em Araguaína.
 
Serão disponibilizados 800 testes gratuitos em dois pontos de grande movimentação do Município, o Supermercado Campelo, na Via lago, e o Atacadão, na Avenida Filadélfia, no Residencial Camargo. Os técnicos de saúde estarão nos locais das 8 às 18 horas. Os exames são direcionados para homens e mulheres com mais de 40 anos.
 
O mutirão faz parte do projeto mundial de erradicação Hepatite Zero, do Rotary Club e Associação Brasileira de Portadores de Hepatites (ABPH).
 
Testes também nas UBS
De acordo com a enfermeira e coordenadora municipal do Programa das Hepatites, Juliana Lima, a hepatite é uma doença silenciosa, que quase nunca apresenta sinais e sintomas, e por isso é importante realizar os testes rápidos.
 
“Os testes também são oferecidos nas unidades básicas de saúde de Araguaína e o resultado sai em, apenas, 30 minutos. Já sobre a prevenção dos tipos B e C, o melhor meio é o preservativo, a camisinha”, alertou.
 
Monitoramento contínuo
A Vigilância Epidemiológica de Araguaína realiza o monitoramento contínuo das doenças transmissíveis, entre elas as hepatites A, B, C, D e E. Apesar do dia mundial de combate a doença ser no dia 28 de julho, a semana de intensificação municipal é programada sempre para o final de agosto, quando as instituições de ensino já têm o total retorno dos aluno às aulas.
 
Dados
Até 31 de julho deste ano, o Município registrou sete novos casos de hepatites virais. No mesmo período do ano passado foram diagnosticadas 29 pessoas. A faixa etária com maior número de casos é a mesma do público alvo da campanha, 35 aos 49 anos, que apresentou 11 dos 26 infectados com o tipo B, no período apresentado.

 

(Marcelo Martin/Foto: Marcos Sandes)

Fazer um comentario