Vacina contra a rinite ajuda a diminuir crises

Vacina contra a rinite ajuda a diminuir crises




O tratamento precisa ser feito de forma contínua e é específico para cada paciente

A rinite alérgica atinge mais de 40 milhões de brasileiros, de acordo com a Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia (ASBAI). A doença é uma inflamação nas narinas causada por alergias ou infecções. Os sintomas mais comuns são espirros, coriza e olhos vermelhos, lacrimejantes e que coçam.

Mas quem sofre com esse problema, que em muitos casos tem recorrência diária, pode contar com um forte aliado para conter os sintomas: a vacina. A nova opção de tratamento fortalece o sistema imunológico contra os agentes mais comuns, como poeira e ácaros. 

Como funciona

A vacina funciona agindo na diminuição das reações da rinite. Ela é formulada de acordo com as particularidades de cada paciente. O médico otorrinolaringologista Daniel Nunes explica que a vacina, na verdade, é uma imunoterapia.

“A ideia é fazer uma dessensibilização, ‘acostumar’ o sistema imunológico com as substâncias que causam essa reação de hipersensibilidade na pessoa”.

A própria Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda a imunoterapia a pacientes com rinite.

Um estudo de 2016 feito pelo médico Edmir Américo Lourenço, professor da Faculdade de Medicina de Jundiaí (SP), concluiu que o uso contínuo da vacina foi capaz de eliminar as crises de espirro, coriza e coceira em 79% voluntários da pesquisa.

Tratamento

O tratamento contra a rinite é feito de forma contínua.

“Essa vacina não faz com que o paciente deixe de ser alérgico, mas diminui a sensibilidade. A rinite não é curada, mas ela se torna imperceptível ao longo do tratamento com a imunoterapia. É importante destacar também que esse tratamento é feito apenas por médicos especialistas, após diagnosticar o paciente e verificar a real necessidade de cada um”, ressalta o médico.

Fazer um comentario