Projeto Papa Pilhas chega ao oitavo ecoponto em Araguaína

Projeto Papa Pilhas chega ao oitavo ecoponto em Araguaína




O Município já conta com oito locais para descarte de pilhas e baterias em locais de grande fluxo de pessoas; objetivo é conscientizar sobre o descarte correto do lixo tóxico na cidade

Araguaína teve a instalação do oitavo ecoponto do Projeto Papa Pilhas, na manhã do último dia 22. O novo posto de entrega voluntária de baterias domésticas usadas está no prédio da Defensoria Pública, na Avenida Filadélfia, por onde passam mais de 200 pessoas por dia. O objetivo é conscientizar sobre o descarte correto do lixo tóxico, que não deve ser depositado junto com o lixo comum.
 
O projeto nasceu por iniciativa do professor Rogério Brito, na Faculdade de Ciências do Tocantins (Facit), e foi implementado pela Prefeitura de Araguaína, por meio da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Escola de Artes de Araguaína (Reciclarte). “Nós temos que apoiar trabalhos que contribuem com as políticas públicas e este é um grande benefício para a cidade”, comentou o secretário Júnior Marzola.
 
Para o defensor público Pablo Chaen, mais que um benefício, a sociedade o projeto também contribui para diminuir possíveis demandas do órgão. “É uma ação preventiva para diminuir as chances de uma ação pública por conta de poluição ambiental. Então, além de contribuir para a saúde pública, facilita o trabalho da Defensoria”, aplicou.
 
Todo comércio deve ter
Todo estabelecimento comercial que vende pilhas e bateria é responsável por recolher os produtos usados, para realização do descarte adequado por meio da logística reversa.  O sistema está previsto na Política Nacional de Resíduos Sólidos, que entrou em vigor em 2010. Elas podem causar impactos no meio ambiente pois são compostas de metais pesados e tóxicos, que podem contaminar o solo e os lençóis freáticos.
 
O coletor
A confecção do coletor é uma realização da coordenadora da Escola de Artes de Araguaína (Reciclarte), Valéria Elias. Ela explica que os pontos instalados até o momento foram por iniciativa pública, mas as empresas podem obter um coletor igual por R$ 150. “O preço é por conta do material gráfico para que o ponto se torne bastante visível, com banner e adesivos. O turbo é uma reutilização de boninas vazias, que são impermeabilizadas com resina”.
 
Pontos de coleta
Secretaria da Fazenda – Rua Ademar Vicente Ferreira, nº 1.555, no Centro;
Loja Nosso Lar – Avenida Cônego João Lima, nº 1669, no Centro;
Facit – Unidade 1 – Rua D 25, Quadra 11, Lote 10, Setor George Yunes;
Laticínio Brasgut – Avenida Araguanã, nº 537 – Bairro Jk;
Senai – Rua Santa Cruz, nº 1409, Setor Central;
Clínica Mundo Autista – Rua José Elias Rosa, no Bairro São João;
Supermercado Atacadão – Avenida Amazílio Correa Camargo Neto, nº 140, no Residencial Camargo;
Defensoria Pública de Araguaína – Avenida Filadélfia, em frente ao Baratão Premium.

 

(Marcelo Martin/Foto: Marcos Sandes)

Fazer um comentario